quarta-feira, 21 de dezembro de 2016


FUJA DO PALLET!

Sou contra essa moda de usar pallet pra tudo.
Sou totalmente a favor de ser ecológico e tudo relacionado, mas acho um absurdo pessoas cobrarem e outras pagarem caro por um material que sai praticamente de graça.
Na maior parte das vezes, se consegue o pallet de graça, pois as empresas de transporte os descarta quase sempre, não se preocupando que árvores foram cortadas para fazê-lo.
Estas empresas que deveriam reaproveitar os pallet nos transportes, pois é pra isso que foram feitos.
Provavelmente o custo de levá-los de volta não compensa, os materiais a serem transportados já vem com seus próprios pallet e a empresa vai ter o trabalho de se livrar deles depois.
Ok, assim dá pra entender pq eles jogam fora, mas não dá pra entender pq um decorador ou um "marceneiro" que usa essa madeira de baixa qualidade cobra tão caro pelo produto final.
Não tem sentido cobrar por algo feito com pallet mais caro do que algo feito com madeiras de qualidade superior.
Banco de pallet

Banco de Ipê

O pallet é feito de pinus, uma madeira mole e com muita resina. Não tem resistência a cupins e brocas, tem uma resistência um pouco maior à apodrecimento devido à resina presente, mas esta resistência é inferior a quase todas outras madeiras.
Efeito da umidade

Pinus atacado por cupim

Por ser uma árvores de crescimento rápido, é tratada como consumível e descartável. Nenhuma árvore é. Gastamos água para seu crescimento, nutrientes, área do solo, etc. "Nós cortamos a árvore mas outra cresce rápido em seu lugar" Apenas para ser cortada de novo!
Plantação de pinus ao lado de floresta nativa
Por não ser uma árvore nativa, esse planta-replanta não ajuda em nada o ecossistema. Só ajuda a indústria que depende dele.
Quem quiser se aprofundar deixo aqui dois links de artigos científicos sobre o assunto:



As pessoas caem na armadilha da moda do ecológico e pagam caro por um material que não vai durar.
Se for pra usar o pallet, use em coisas que vc não precisa que durem. Enfeites, peças de teste, modelos, e deixe o produto final para as madeiras duráveis.
No fim das contas, ficam com um produto de baixa qualidade, mal acabado (que tem a cara de pau de chamar de rústico), caro e que não dura e, deste modo os faz comprar outro em um espaço curto de tempo se comparado aos feitos com qualidade.
Isso nada mais é do que o consumismo forçado que já nos empurram nos eletrodomésticos que duram poucos anos.
Como é possível que nossos pais e avós tivessem móveis e eletrodomésticos que duravam muito e nós, com todo avanço tecnológico que conquistamos, tenhamos apenas coisas descartáveis?
Quer ser ecológico de verdade?
Abandone os pallet e gaste seu dinheiro em produtos duráveis. Se você consome menos madeira, menos árvores são cortadas.
O planeta agradece.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Como fazer raspilhas - Reta e curva

Como fazer raspilhas - Reta e curva Aprenda a fazer raspilhas retas (card scraper) e curvas (côncava e convexa). Indispensáveis em uma marcenaria, servem para alisar madeiras de veio reverso, arredondas peças e muito mais. Se inscreva no canal, clique no gostei, deixe seu comentário e clique no sininho para ser avisado em seu e-mail quando tiver vídeo novo. Se preferir pode me seguir pelas redes sociais e não perder nenhum vídeo. Facebook: hhttps://www.facebook.com/Julio-Pestana-1739352079670843/ Twitter: @juliopestana761 Em meu Blog tem algumas informações mais detalhadas que você pode achar úteis. Visite e siga. Blog: http://ift.tt/2fMuc2X Músicas: Chipper - Happy Rock de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (http://ift.tt/1bFo3O7) Origem: http://ift.tt/25ZKDJZ Artista: http://incompetech.com/ Mountain Sun de Audionautix está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (http://ift.tt/1bFo3O7) Artista: http://audionautix.com/

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Como afiar raspilha - card scraper

Como afiar raspilha - card scraper Aprenda a afiar uma raspilha. A raspilha (card scraper) é indispensável em uma marcenaria, sua utilidade vai desde alisar madeiras com veios reverso até arredondar peças. Se inscreva no canal, clique no gostei, deixe seu comentário e clique no sininho para ser avisado em seu e-mail quando tiver vídeo novo. Se preferir pode me seguir pelas redes sociais e não perder nenhum vídeo. Facebook: hhttps://www.facebook.com/Julio-Pestana-1739352079670843/ Twitter: @juliopestana761 Em meu Blog tem algumas informações mais detalhadas que você pode achar úteis. Visite e siga. Blog: http://ift.tt/2fMuc2X Músicas: Chipper - Happy Rock de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (http://ift.tt/1bFo3O7) Origem: http://ift.tt/25ZKDJZ Artista: http://incompetech.com/ Boogie Woogie Bed de Audionautix está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (http://ift.tt/1bFo3O7) Artista: http://audionautix.com/

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Micos fazendo uma visita

Micos fazendo uma visita A família de micos que vive perto de casa resolveu fazer uma visita . Só não ficaram mais tempo porque meus cães são chatos. Se inscreva no canal, clique no gostei, deixe seu comentário e clique no sininho para ser avisado em seu e-mail quando tiver vídeo novo. Se preferir pode me seguir pelas redes sociais e não perder nenhum vídeo. Facebook: hhttps://www.facebook.com/Julio-Pestana-1739352079670843/ Twitter: @juliopestana761 Em meu Blog tem algumas informações mais detalhadas que você pode achar úteis. Visite e siga. Blog: http://ift.tt/2fMuc2X

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Como ler os veios da madeira e usá-los a seu favor

Como ler os veios da madeira e usá-los a seu favor Hoje mostro como eu faço para ler o veios da madeira e como você pode usá-los a seu favor. Explico também porque é importante saber isso, o que acontece ao partí-la com formão ou aplainá-la dependendo da orientação dos veios. Se inscreva no canal, dê seu like, deixe seu comentário e clique no sininho para ser avisado em seu e-mail quando tiver vídeo novo. Em meu Blog tem muito mais informações que você pode achar úteis. Visite e siga. Blog: http://ift.tt/2fMuc2X Me siga nas redes sociais para mais conteúdo e não perder nenhum vídeo. Facebook: hhttps://www.facebook.com/Julio-Pestana-1739352079670843/ Twitter: @juliopestana761 Músicas: Chipper - Happy Rock de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (http://ift.tt/1bFo3O7) Origem: http://ift.tt/25ZKDJZ Artista: http://incompetech.com/ Prelude No. 10 de Chris Zabriskie está licenciada sob uma licença Creative Commons Attribution (http://ift.tt/1bFo3O7) Origem: http://ift.tt/1KhBWfG Artista: http://ift.tt/wfgYUg

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Mais um vídeo comparando plaina e lixa, todo em inglês.



PLAINA vs LIXA


Vídeo em japonês com legendas em inglês onde comparam os acabamentos de uma plaina japonesa com de uma lixa comum.

Dá pra ver bem a diferença.


sexta-feira, 7 de outubro de 2016

ONDE COMPRAR MADEIRA PARA MÓVEIS EM SP?

COMO CALCULAR O METRO CÚBICO

Madeira sólida é vendida por metro cúbico. Para calcular o quantos metros cúbicos você está comprando faça a seguinte conta:

Se for uma prancha de 4cm de espessura, 20cm de largura e 3 metros de comprimento,

4cm = 0,04m
20cm = 0,20m

0,04 x 0,20 x 3 = 0,024 metros cúbicos (m3)

Então essa prancha, se for de imbúia na loja abaixo custará 0,024 x 4600 = 110,40 reais

Se comprar aparelhada fica 110,40 x 1,20 = 132,48 reais por uma prancha de imbúia de 3 metros de comprimento, 20cm de largura e espessura entre 3,5 e 4,0cm (aparelhar diminui a espessura mas você paga a madeira toda, inclusive a que virou serragem).

Fornecedores de madeira para móveis na zona oeste de SP


MADEIREIRA NOVA PAULISTA

Av. Corifeu de Azevedo Marques , 3293/3297 - Butantã 
(11) 3735-7848 | 3735-8635 | 3731-2275 | Fax: 3731-5670 
DAS 08H ÀS 18H - SÁBADO ATÉ 12H 
MOISÉS 

espessuras: 4, 6, 8, 10cm 

valores por metro cúbico em setembro de 2016. 

aparelhadas acrescentar 20% 

frete, tem um sr. que faz, valor depende da distância e quantidade. 

CEDRO ROSA 3800, FREIJÓ 3800, JEQUITIBÁ 3400, GARAPEIRA 3300, PEROBA MICA 3600, CUMARÚ 3800, CEDRINHO 2400, IMBUIA 4600, CABREÚVA 3600 


-------------- 

Amarante Comercial Madeireira 

Av. Corifeu de Azevedo Marques, 3.335 
Fone: (11) 3594-3232 

espessuras: 4, 6, 8, 10cm 

valores por metro cúbico em setembro de 2016. 

aparelhadas acrescentar 30% 

frete, tem um sr. que faz, valor depende da distância e quantidade. 

JEQUITIBA 2800, TAUARI 2800, ANGELIM 3200, GARAPEIRA 3500, FREIJÓ 3900, CEDRO ROSA 3900 

-------------- 

DISK-MAD 

RUA MASO DI BIANCO, 300 - RIO PEQUENO - SP 
3463-8744 | 3021-8744 

espessuras: 4, 6, 8, 10cm - algumas tem também 2,7cm (marquei com *) 

valores por metro cúbico em setembro de 2016. 

não aparelha, frete por sua conta 

ANGELIM 2970, CEDRO 4070, FREIJÓ (*) 4070, TAMARINO 3190, CUMARU 3800, GARAPEIRA 3190, PEROBA MICA 3410, TAUARI (*) 2900, MUIRAPIRANGA 3080, MUIRACATIARA 2970, JEQUITIBÁ(*) 2970, CATUABA 2860, ITAÚBA(*) 3410, ROXINHO 3190, CAIXETA(*) 2420, JATOBÁ 3190, CABRIÚVA 6380, SUCUPIRA 3190, ABIÚ 2970 

Ótimo atendimento.

--------------

Boas compras!

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Dando sequência ao preparo das madeiras, agora mostro meu modo de tirar torção e desempenar a madeira usando apenas ferramentas manuais.


Não se esqueçam de se inscrever no canal do Youtube e de seguir o Blog aqui na lateral direita.

Até mais!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

IR A UM PARQUE PARA VER PEDRAS? PORQUE NÃO?


Costumamos ir a parques a passeio e o que vemos lá? Árvores, mato, lagos, pessoas caminhando, crianças brincando, fazendo piquenique, etc. Então, porque não ir a um parque gratuito, que nunca encontrei cheio, sossegado, onde você pode relaxar, fazer um piquenique, passar um tempo com a família e ainda por cima aprender, ver e tocar um pouco da história do planeta?

O LOCAL

O Parque Geológico do Varvito fica localizado na cidade de Itú, estado de São Paulo. Sim, aquela cidade famosa por ter tudo grande, o que não é verdade, existe sim a Praça Padre Miguel onde tem o orelhão gigante, o semáforo gigante entre outras coisas, e é um bom passeio para após o parque e para comprar lembrancinhas  já que você está bem perto.

O parque do Varvito não cobra ingresso, tem estacionamento na porta gratuito, tem banheiros, bancos, bebedouros, alguns quiosques cobertos, árvores, mato, parquinho infantil e é claro pedras! Muitas pedras, que são a atração principal.

Casais vão ao parque tirar fotos para álbuns de casamento também.

Se você for apenas para ver as pedras o passeio dura aproximadamente meia hora, por isso indiquei fazer um piquenique ou ir passear na praça. Mas afinal, o que tem de especial nesse parque?

Panorâmica do anfiteatro do parque

Localização do parque: 

A ERA DO GELO

Você pode não saber, mas São Paulo já foi coberto por geleiras  no passado. Você pode dizer: "Isso eu já sabia, aprendi na escola". Sim! Mas você talvez não saiba que nesse parque, e em outros, você pode ver, e tocar as provas de que isso ocorreu. Nada de ver em fotos ou filmes, tocar! Por as mãos, sentir o cheiro! Quero ver alguém falar que é mentira depois disso.



POR QUE VARVITO?


"O varvito é uma rocha sedimentar originada durante a glaciação de rios e lagos e sua estrutura é constituída por uma série de varves.
Apresenta camadas alternadas, formando um depósito sedimentar de estratificação rítmica (ritmito), sendo que cada varve corresponde a um ano." https://pt.wikipedia.org/wiki/Varvito

Explicando de outro modo:
As geleiras tem a sua borda, onde elas terminam, e nessa área temos água escorrendo formando poças, lagos e até rios sazonais. No verão e primavera ocorre um derretimento maior e por consequência temos mais água carregando sedimentos, areias e siltes.
Já no inverno e outono ocorre um carregamento de sedimentos em menor quantidade de material orgânico e argila fina, formando camadas mais finas.


Cada camada formada no período de um ano é chamada de "Varve". Camadas mais grossas indicam que naquele ano teve um acúmulo maior de sedimentos.
Notem a espessura da camada em comparação com uma criança de 12 anos (meu filho). Com certeza naquele ano teve muito mais sedimentos do que nos outros.



Foi construído no parque um lago artificial que ajuda a se imaginar o lago que formou o varvito.


ÁGUA CORRENTE ANCESTRAL


As ondulações e inclinações demonstram a presença de água. Ondulações simétricas indicam lago parados, poças. Ondulações assimétricas indicam água corrente e ondas. Quanto mais inclinadas mais rápida a corrente, enquanto o lado mais inclinado indica a direção para onde a água corria.





COISAS INTERESSANTES


Em alguns locais de terra no parque  é possível encontrar camadas de terra parecidas com as camadas de pedra.





A água que se encontra no solo aflora e escorre pelas rochas.


Este local é chamado de cachoeira das lágrimas, pois a água que pinga sem parar faz parecer que a pedra está chorando.


FÓSSEIS?



Já olhamos o varvito de lado, agora, olhando o varvito de cima temos fossilizados na rocha rastros de crustáceos e moluscos na lama, transformados em pedra pela pressão exercida pelas camadas formadas depois.




EVIDÊNCIA DE ICEBERGS

Quando um pedaço da geleira se partia, formava um iceberg que ia flutuando pelo lago que ao derreter depositava pedras, galhos e qualquer coisa que estivesse dentro ou sobre ele na lama. Essas pedras (seixos) eram recobertos por mais camadas e ficavam presos nelas.

À esquerda vemos um seixo entre as camadas.


Mais fotos do parque:






 Na minha opinião é um passeio muito bom, diferente e que vale a pena.

Os funcionários são educados e gostam do que fazem. Dá pra notar que o parque não recebe a verba necessária, e mesmo assim não está destruído ou sujo como outros que vemos por aí. Possivelmente devido ao empenho de seus funcionários que, como todo brasileiro, tira leite de pedra pra fazer as coisas funcionarem.

Já é a terceira vez que vou lá. Fui com a faculdade, depois levei minhas sobrinhas (hoje uma tem até filho) e namorada (hoje minha esposa). Agora levei minha esposa, meu filho e minha mãe. As rochas são as mesmas, pouca coisa muda, possivelmente irei de novo.

Nesse mundo que tudo muda rapidamente acho reconfortante saber que existem alguns lugares onde você pode voltar 17 anos depois e ele ainda estar lá, do jeito que você deixou.

Bom passeio!

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

AFIAÇÃO DE FERRAMENTAS - PARTE 2

CORTES PARALELOS AOS VEIOS - PLAINAS

Sabemos por experiência que fazer um corte paralelo aos veios da madeira é mais fácil do que um corte perpendicular porque necessita de menos força. Enquanto no corte perpendicular nosso objetivo é o rompimento controlado, agora temos que nosso objetivo é uma divisão controlada dos veios. O objetivo final é sempre cortar, não dividir, mas a madeira quase sempre não vai cooperar.

A formação das aparas no corte paralelo é bem diferente do que no corte perpendicular. Existe uma tendência das rachaduras correrem pelo veio. Um problema que não existe no corte perpendicular e, por esta razão, deveríamos sempre aplainar "a favor dos veios", isto é, onde o veio está subindo pra fora da face da madeira e sempre se afastando da direção de corte.

Quando se está aplainando a favor dos veios, a madeira se divide na frente da lâmina, mas as divisões ocorrem acima da linha de corte e não causam um problema. A divisão "corre" pela madeira já cortada e até ajudam a formação das aparas (cavacos). A apara sai como uma série de pedacinhos quebrados conforme as fibras são cortadas até que uma rachadura ocorra. 

Veja a figura abaixo:


Figura 1


A rachadura aumenta até que o pedaço fique tão fino que se rompa, ou até a apara subir sobre o contra-ferro (cap iron ou chip breaker) fazendo o pedaço romper bem na boca da abertura da plaina. Este processo é muito fácil e agradável e tudo de que você precisa é manter a lâmina afiada.

Como veios sempre paralelos quase nunca existem no mundo real, nós frequentemente vamos de uma situação de aplainar "a favor do veio" para uma "contra o veio".

Figura 2

Quando aplainamos contra os veios, as fibras "preferem" se dividir longitudinalmente ao invés de se "deixarem" cortar. Então o processo de aplainar contra os veios se torna um processo de controlar as rachaduras que começam no fio da lâmina e "correm" até algum ponto abaixo da linha de corte. O resultado é que a plaina dá algumas travadas e temos um acabamento cheio de buracos. (veja na figura 1 o desenho de baixo)

Se levarmos em conta que uma situação contra os veios é uma variação do corte perpendicular, podemos melhorar o resultado com corte mais finos e enviesando a lâmina.

Figura 3

O contra-ferro também é chamado de "chip breaker" (quebra aparas) por um motivo, ao forçar as aparas a se curvarem logo após o corte ele as "obriga" a se romperem com tamanhos menores. Quanto mais longas as aparas, menos liso será o corte pois aparas maiores se romperão abaixo da linha de corte, causando os buracos.

Os modos de facilitar o corte contra o veio são:

- Manter a lâmina bem afiada
- Manter o contra-ferro próximo ao fio da lâmina (figura 4)
- Fechar a abertura da plaina, para que as aparas sejam menores (Figura 4). Muito difícil para nós pois plainas com abertura ajustável são todas importadas e difíceis de encontrar no Brasil.


Figura 4

Na figura 4, acima, nota-se que ao aproximarmos o contra-ferro do fio e fecharmos a abertura as aparas quebram em tamanhos menores e, por consequência, acima da linha de corte.

Aqui tem um link para o meu vídeo no Youtube sobre afiação de lâmina de plainas.




Mesmo com toda essa informação, na prática, quando estamos aplainando não pensamos em nada disso. 

Sentimos a madeira; escutamos o som característico que um bom corte faz; sentimos os trancos e solavancos que a plaina dá quando os veios mudam o sentido; aspiramos o cheiro de madeira cortada; sentimos o cansaço nos braços e a satisfação que um trabalho de sucesso proporciona.

Essa experiência, apesar de poder ser descrita, só pode ser compreendida por quem já passou por isso.

E é isso que faz todos nós, apaixonados pela marcenaria, voltarmos dia após dia às nossas ferramentas. Sentimentos que só nós entendemos, como um tipo de clube secreto onde só os iniciados sabem seus segredos.



segunda-feira, 5 de setembro de 2016

GUIAS DE AFIAÇÃO (JIG)

As lâminas quando novas vem com um ângulo pré-definido pela fábrica. Esses ângulos podem não serem o que desejamos por diversos motivos. Podemos querer um ângulo menor para facilitar o corte, um ângulo maior para madeiras mais duras, etc.

Você pode se encontrar em uma situação onde sua lâmina pegou um prego e fez um "dente" ou caiu no chão e amassou o fio. Os motivos são vários e por isso saber como refazer o ângulo de sua lâmina pode ser muito libertador.

Não vou entrar em detalhes neste artigo sobre qual o melhor ângulo pois já falei disso antes, mas vou falar sobre os guias de afiação, ou JIGs que podemos utilizar para refazermos o ângulo deo chanfro de nossas lâminas.

Um bom JIG deve ser capaz de permitir que você escolha o ângulo, prenda bem a lâmina, permita que você faça os movimentos necessários a afiação e você seja capaz de  regulá-lo no mesmo ângulo quando for afiar de novo.

Abaixo alguns tipos de JIGs encontrados no mercado (fora do Brasil, infelizmente):





O ajuste do JIG é sempre cheio de dúvidas, mas nada que a boa e velha geometria não resolva. Mas se você não é fâ de matemática, abaixo tem um link para um vídeo em meu canal do Youtube onde mostro dois dos meus métodos de ajustar o JIG.



sexta-feira, 2 de setembro de 2016

ESCOLHENDO E REGULANDO A PLAINA

ESCOLHENDO SUA PLAINA

No Brasil temos uma falta de opções quando se trata de plainas manuais. Em um mercado que privilegia cada vez mais as máquinas, as boas e velhas plainas manuais vão sendo cada vez mais deixadas de lado.

Atualmente a plaina encontrada que aparenta ser a "menos pior" é a Stanley Global. Mesmo assim, aconselho que você, quando for comprar a sua, a desmonte ali mesmo na loja e verifique se as peças estão inteiras e com encaixe funcionando. Já fui repreendido por funcionários de grandes lojas de ferramentas porque eu havia desmontado a plaina, e ao explicar que estava verificando o estado desta, me contestaram dizendo que não havia necessidade, que eram novas de fábrica, etc.

Até eu mostrar a eles uma plaina onde o frog estava com um PEDAÇO DO METAL FALTANDO!

Não era algo que foi quebrado, era um defeito na forja, literalmente faltou metal para que o frog pudesse ser uma peça completa. 

Se você não vê isso antes da compra, depois só resta chorar.

Aqui tem uma imagem de uma plaina tradicional para que vocês tenham uma noção do que procurar  e qual a aparência das peças:


A plaina da Stanley mencionada não tem o parafuso de ajuste do frog, mas no restante é igual a da imagem.

INICIALIZANDO E REGULANDO SUA PLAINA

Nenhuma plaina vem da fábrica pronta para uso, não importa o que o fabricante diga. Mesmo a intenção do fabricante seja das melhores, diferenças no processo de montagem e fabricação das peças faz com que todas precisem passar por uma inicialização ou personalização, como preferirem.

Como dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras, fiz um vídeo onde explico como faço a minha personalização preferida.


Se tiverem alguma dúvida, comentário ou apenas quer dizer oi, é só escrever.

Não se esqueça de seguir o blog para não perder nenhum artigo.

Até a próxima!

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

AFIAÇÃO DE FERRAMENTAS - PARTE 1

POR QUE AFIAR?

Todo mundo já esteve numa situação em que foi cortar algo e o corte não foi possível, não foi um bom corte ou foi perfeito.
Excluindo os casos em que tratava-se de falta de habilidade, o que diferenciou um tipo de corte do outro foi a afiação da ferramenta.
Quando uma tesoura dobra o papel, uma talhadeira não corta a pedra e um formão não corta a madeira, na maioria dos casos o problema é a falta de corte.

ÂNGULO DE AFIAÇÃO

Uma dúvida que todos já tiveram alguma vez nesse sentido foi esta: Qual ângulo devo afiar minha faca, meu formão, meu machado?

O que você precisa saber é que quanto maior o ângulo de afiação, mais demora para a ferramenta perder o corte. Em contrapartida, quanto menor o ângulo, mais fácil o corte será executado.

Isto acontece devido algo chamado "campo de estresse". O estresse na lâmina age perpendicularmente à superfície desta.
Quanto mais linhas de estresse estiverem dentro da madeira, mais difícil o corte. Notem que na figura, a de cima é uma apara grossa enquanto a de baixo uma apara fina. A apara fina é mais fácil pois tem menos linhas de estresse para romper.

Temos então uma situação onde temos que decidir o que é melhor para cada situação. Posso usar um ângulo pequeno, mas terei que afiar minha lâmina mais vezes. Por outro lado posso usar um ângulo maior e mais difícil de cortar mas o fio do corte vai durar mais tempo.

Diminuindo o ângulo de afiação na lâmina temos menos linhas de estresse como podem ver abaixo:


Como exemplo temos as facas de cozinha. Como cortam materiais moles, podem ter um ângulo muito baixo, entre 20 e 25 graus, mas perdem o corte facilmente. Agora você sabe porque eles ficam afiando elas toda hora.

Já um formão, com ângulos entre 25 e 35 graus aparam madeiras bem mais duras que alimentos e a perda do corte depende do ângulo em que foi afiado.

COMO AS FIBRAS DAS MADEIRAS SE COMPORTAM

As fibras das madeiras são como tubos muito finos, que é por onde passam os nutrientes e água. Fazendo uma apara perpendicular aos tubos (End Grain), quando a lâmina de um formão encosta nas fibras temos algo como na figura abaixo.
 A fibra se inclina pois está sendo empurrada e a lâmina a corta antes que isso aconteça.

Mas se a lâmina não está afiada, as fibras são amassadas e rompidas deste modo:


COMO FACILITAR O CORTE

Outro modo de facilitar o corte é usar a ferramenta de modo que a lâmina esteja inclinada em relação à direção de corte, ou seja, enviesado (skew).

O método de enviesar a lâmina facilita o corte pois causa uma diminuição ainda maior no ângulo de corte sem que se precise diminuir o ângulo de afiação.


Na figura acima, o formão tem ângulo de afiação de 20° e ao se enviesar a lâmina em 45° o ângulo de ataque resultante tem apenas 14°, deixando o corte muito mais fácil.

Comparando o corte reto com o corte enviesado na figura abaixo, vemos que no corte enviesado o fio da lâmina passa pela fibra ao invés de apenas empurrá-la como no corte reto.

Esta parte fica por aqui pois já ficou longa. Na próxima parte o assunto será cortes paralelos às fibras, situação onde as plainas manuais dominam.

E você? Já teve problemas com má afiação? Tem outra opinião sobre qual o melhor ângulo? Comente e opine aqui embaixo.

Não esqueça de compartilhar se inscrever para ser avisado quando tiver nova postagem.

Até a próxima!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Como dá trabalho proteger a natureza...

Uma ou duas vezes por ano meus cães, eu tenho cinco, apareciam de manhã com a cara cheia de espinhos.

Dava um trabalhão tirar um por um com o alicate e, às vezes, tinha que levar algum ao veterinário pois haviam espinhos dentro da boca.

Há duas semanas consegui enfim ver a cara do "meliante" e ele é muito fofinho!



Ele vem todos os dias depois que o sol se põe para comer as folhas da minha amoreira. Ele vem através das árvores mas depois que passa para a amoreira não consegue voltar por onde veio pois o galho abaixa com seu peso.

Ele deve medir uns 40cm sem contar o rabo.

A fim de evitar que meus cães o atacassem e se machucassem no processo peguei um dos vários cipos que crescem nas outras árvores e estiquei e enrosquei na amoreira para fazer uma ponte.
Deu certo. Ele volta pela ponte toda noite e há três dias trouxe um(a) acompanhante.

É menor que ele, apressado(a) e sem paciência o que me faz desconfiar que é a esposa. :-)

Na noite passada consegui filmar a esposa indo embora pela ponte, o maior sempre vai embora antes dela. Mas hoje de manhã os cães estavam latindo muito e o motivo era que aparentemente ela se apoiou em um galho seco e caiu com galho e tudo!

Estava acuada em uma árvore menor e sem acesso ás outras árvores para poder ir embora, enquanto três dos meus cães estavam com os focinhos cheios de espinhos!

Afastei-os com a água da mangueira, ela desceu, subiu em outra árvore e foi embora.

Em um dos cães consegui tirar os espinhos mas nos outros dois, que tinham espinhos dentro da boca tive que levar ao veterinário... de novo... Prejuizo total R$ 340,00 fora a gasolina e a canseira.

Vou continuar a fazer o possível para não prejudicar a natureza, mas tem vezes que me sinto tão cansado...






quarta-feira, 10 de agosto de 2016

PARA TRABALHAR COM MADEIRA PRECISO DE AUTORIZAÇÃO DO IBAMA?


Muita gente não sabe mas muita coisa no nosso país precisa não só de autorização do IBAMA como de outros órgãos estaduais e municipais.
Conheço muitos caso de marceneiros que receberam a visita de fiscais e tiveram que pagar multas e até tiveram sua empresa fechada.
No caso de marcenarias, precisa-se fazer o cadastro no IBAMA de Atividades potencialmente poluidoras e utilizadoras de recursos ambientais (CTF/APP) nesta página:
Na tabela mencionada na página encontramos na parte de INDUSTRIA DE MADEIRA, o ítem:
7-4 Fabricação de estruturas de madeira e móveis - médio
Este "médio" é o grau de utilização dos recurso naturais que a tabela considera que esta atividade tem.
No Anexo IX da Lei nº 6.938, de 1981 - Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências, temos a tabela dos valores em Reais devidos por estabelecimento por TRIMESTRE.
Para nossa sorte, o grau médio especifica que Pessoas Físicas e Microempresas estão isentas do pagamento.
Mesmo assim, NÃO estamos isentos do cadastro!
Então evitem problemas futuros e se cadastrem. Só vai custar o tempo e o trabalho, e vai evitar problemas com os fiscais.
Conforme a própria página do IBAMA:
"As pessoas físicas ou jurídicas inscritas no CTF/APP têm acesso aos serviços do Ibama na Internet. Acessando seu cadastro, podem emitir o Certificado de Regularidade, exigido por vários órgãos públicos, inclusive para licitações.
Podem ainda solicitar autorizações e licenças ambientais do Ibama e de órgãos estaduais de meio ambiente."