quinta-feira, 18 de agosto de 2016

AFIAÇÃO DE FERRAMENTAS - PARTE 1

POR QUE AFIAR?

Todo mundo já esteve numa situação em que foi cortar algo e o corte não foi possível, não foi um bom corte ou foi perfeito.
Excluindo os casos em que tratava-se de falta de habilidade, o que diferenciou um tipo de corte do outro foi a afiação da ferramenta.
Quando uma tesoura dobra o papel, uma talhadeira não corta a pedra e um formão não corta a madeira, na maioria dos casos o problema é a falta de corte.

ÂNGULO DE AFIAÇÃO

Uma dúvida que todos já tiveram alguma vez nesse sentido foi esta: Qual ângulo devo afiar minha faca, meu formão, meu machado?

O que você precisa saber é que quanto maior o ângulo de afiação, mais demora para a ferramenta perder o corte. Em contrapartida, quanto menor o ângulo, mais fácil o corte será executado.

Isto acontece devido algo chamado "campo de estresse". O estresse na lâmina age perpendicularmente à superfície desta.
Quanto mais linhas de estresse estiverem dentro da madeira, mais difícil o corte. Notem que na figura, a de cima é uma apara grossa enquanto a de baixo uma apara fina. A apara fina é mais fácil pois tem menos linhas de estresse para romper.

Temos então uma situação onde temos que decidir o que é melhor para cada situação. Posso usar um ângulo pequeno, mas terei que afiar minha lâmina mais vezes. Por outro lado posso usar um ângulo maior e mais difícil de cortar mas o fio do corte vai durar mais tempo.

Diminuindo o ângulo de afiação na lâmina temos menos linhas de estresse como podem ver abaixo:


Como exemplo temos as facas de cozinha. Como cortam materiais moles, podem ter um ângulo muito baixo, entre 20 e 25 graus, mas perdem o corte facilmente. Agora você sabe porque eles ficam afiando elas toda hora.

Já um formão, com ângulos entre 25 e 35 graus aparam madeiras bem mais duras que alimentos e a perda do corte depende do ângulo em que foi afiado.

COMO AS FIBRAS DAS MADEIRAS SE COMPORTAM

As fibras das madeiras são como tubos muito finos, que é por onde passam os nutrientes e água. Fazendo uma apara perpendicular aos tubos (End Grain), quando a lâmina de um formão encosta nas fibras temos algo como na figura abaixo.
 A fibra se inclina pois está sendo empurrada e a lâmina a corta antes que isso aconteça.

Mas se a lâmina não está afiada, as fibras são amassadas e rompidas deste modo:


COMO FACILITAR O CORTE

Outro modo de facilitar o corte é usar a ferramenta de modo que a lâmina esteja inclinada em relação à direção de corte, ou seja, enviesado (skew).

O método de enviesar a lâmina facilita o corte pois causa uma diminuição ainda maior no ângulo de corte sem que se precise diminuir o ângulo de afiação.


Na figura acima, o formão tem ângulo de afiação de 20° e ao se enviesar a lâmina em 45° o ângulo de ataque resultante tem apenas 14°, deixando o corte muito mais fácil.

Comparando o corte reto com o corte enviesado na figura abaixo, vemos que no corte enviesado o fio da lâmina passa pela fibra ao invés de apenas empurrá-la como no corte reto.

Esta parte fica por aqui pois já ficou longa. Na próxima parte o assunto será cortes paralelos às fibras, situação onde as plainas manuais dominam.

E você? Já teve problemas com má afiação? Tem outra opinião sobre qual o melhor ângulo? Comente e opine aqui embaixo.

Não esqueça de compartilhar se inscrever para ser avisado quando tiver nova postagem.

Até a próxima!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Como dá trabalho proteger a natureza...

Uma ou duas vezes por ano meus cães, eu tenho cinco, apareciam de manhã com a cara cheia de espinhos.

Dava um trabalhão tirar um por um com o alicate e, às vezes, tinha que levar algum ao veterinário pois haviam espinhos dentro da boca.

Há duas semanas consegui enfim ver a cara do "meliante" e ele é muito fofinho!



Ele vem todos os dias depois que o sol se põe para comer as folhas da minha amoreira. Ele vem através das árvores mas depois que passa para a amoreira não consegue voltar por onde veio pois o galho abaixa com seu peso.

Ele deve medir uns 40cm sem contar o rabo.

A fim de evitar que meus cães o atacassem e se machucassem no processo peguei um dos vários cipos que crescem nas outras árvores e estiquei e enrosquei na amoreira para fazer uma ponte.
Deu certo. Ele volta pela ponte toda noite e há três dias trouxe um(a) acompanhante.

É menor que ele, apressado(a) e sem paciência o que me faz desconfiar que é a esposa. :-)

Na noite passada consegui filmar a esposa indo embora pela ponte, o maior sempre vai embora antes dela. Mas hoje de manhã os cães estavam latindo muito e o motivo era que aparentemente ela se apoiou em um galho seco e caiu com galho e tudo!

Estava acuada em uma árvore menor e sem acesso ás outras árvores para poder ir embora, enquanto três dos meus cães estavam com os focinhos cheios de espinhos!

Afastei-os com a água da mangueira, ela desceu, subiu em outra árvore e foi embora.

Em um dos cães consegui tirar os espinhos mas nos outros dois, que tinham espinhos dentro da boca tive que levar ao veterinário... de novo... Prejuizo total R$ 340,00 fora a gasolina e a canseira.

Vou continuar a fazer o possível para não prejudicar a natureza, mas tem vezes que me sinto tão cansado...






quarta-feira, 10 de agosto de 2016

PARA TRABALHAR COM MADEIRA PRECISO DE AUTORIZAÇÃO DO IBAMA?


Muita gente não sabe mas muita coisa no nosso país precisa não só de autorização do IBAMA como de outros órgãos estaduais e municipais.
Conheço muitos caso de marceneiros que receberam a visita de fiscais e tiveram que pagar multas e até tiveram sua empresa fechada.
No caso de marcenarias, precisa-se fazer o cadastro no IBAMA de Atividades potencialmente poluidoras e utilizadoras de recursos ambientais (CTF/APP) nesta página:
Na tabela mencionada na página encontramos na parte de INDUSTRIA DE MADEIRA, o ítem:
7-4 Fabricação de estruturas de madeira e móveis - médio
Este "médio" é o grau de utilização dos recurso naturais que a tabela considera que esta atividade tem.
No Anexo IX da Lei nº 6.938, de 1981 - Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências, temos a tabela dos valores em Reais devidos por estabelecimento por TRIMESTRE.
Para nossa sorte, o grau médio especifica que Pessoas Físicas e Microempresas estão isentas do pagamento.
Mesmo assim, NÃO estamos isentos do cadastro!
Então evitem problemas futuros e se cadastrem. Só vai custar o tempo e o trabalho, e vai evitar problemas com os fiscais.
Conforme a própria página do IBAMA:
"As pessoas físicas ou jurídicas inscritas no CTF/APP têm acesso aos serviços do Ibama na Internet. Acessando seu cadastro, podem emitir o Certificado de Regularidade, exigido por vários órgãos públicos, inclusive para licitações.
Podem ainda solicitar autorizações e licenças ambientais do Ibama e de órgãos estaduais de meio ambiente."