sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Como dá trabalho proteger a natureza...

Uma ou duas vezes por ano meus cães, eu tenho cinco, apareciam de manhã com a cara cheia de espinhos.

Dava um trabalhão tirar um por um com o alicate e, às vezes, tinha que levar algum ao veterinário pois haviam espinhos dentro da boca.

Há duas semanas consegui enfim ver a cara do "meliante" e ele é muito fofinho!



Ele vem todos os dias depois que o sol se põe para comer as folhas da minha amoreira. Ele vem através das árvores mas depois que passa para a amoreira não consegue voltar por onde veio pois o galho abaixa com seu peso.

Ele deve medir uns 40cm sem contar o rabo.

A fim de evitar que meus cães o atacassem e se machucassem no processo peguei um dos vários cipos que crescem nas outras árvores e estiquei e enrosquei na amoreira para fazer uma ponte.
Deu certo. Ele volta pela ponte toda noite e há três dias trouxe um(a) acompanhante.

É menor que ele, apressado(a) e sem paciência o que me faz desconfiar que é a esposa. :-)

Na noite passada consegui filmar a esposa indo embora pela ponte, o maior sempre vai embora antes dela. Mas hoje de manhã os cães estavam latindo muito e o motivo era que aparentemente ela se apoiou em um galho seco e caiu com galho e tudo!

Estava acuada em uma árvore menor e sem acesso ás outras árvores para poder ir embora, enquanto três dos meus cães estavam com os focinhos cheios de espinhos!

Afastei-os com a água da mangueira, ela desceu, subiu em outra árvore e foi embora.

Em um dos cães consegui tirar os espinhos mas nos outros dois, que tinham espinhos dentro da boca tive que levar ao veterinário... de novo... Prejuizo total R$ 340,00 fora a gasolina e a canseira.

Vou continuar a fazer o possível para não prejudicar a natureza, mas tem vezes que me sinto tão cansado...






Nenhum comentário:

Postar um comentário